• Redação Circular

Os novos espaços na rede do projeto Circular

A 29ª. edição do Projeto Circular que acontece neste domingo (01) chega com novos parceiros. Agora são 54 reunidos numa rede de valorização patrimonial do centro histórico. As iniciativas agregam ações envolvendo música, literatura, gastronomia, moda e artes visuais.





O grupo Urban Sketchers Belém, que promove o encontro de artistas visuais na prática do desenho ao ar livre, é um dos novos projetos inseridos na rede Circular. Criado com objetivo de dar visibilidade e apoio a comunidade de desenhistas de Belém, o movimento indica também cursos e professores de desenho, pintura e outras técnicas. Os encontros são organizados em eventos pelo Facebook e divulgados em diversos meios. O Urban Sketchers é uma comunidade global e possui um conhecido manifesto online sobre este movimento artístico.

"“Nós fazemos desenhos de locação, através da observação direta, seja em ambientes externos ou internos. Nossos desenhos contam histórias do dia a dia, dos lugares em que vivemos, e para onde viajamos. São registros do tempo e do lugar. Nós somos fiéis às cenas que estamos retratando, usamos qualquer tipo de técnica e valorizamos cada estilo individual, nos apoiamos e desenhamos juntos"

“Nós fazemos desenhos de locação, através da observação direta, seja em ambientes externos ou internos. Nossos desenhos contam histórias do dia a dia, dos lugares em que vivemos, e para onde viajamos. São registros do tempo e do lugar. Nós somos fiéis às cenas que estamos retratando, usamos qualquer tipo de técnica e valorizamos cada estilo individual, nos apoiamos e desenhamos juntos. Compartilhamos nossos desenhos on-line e nos mostramos ao mundo”, dizem os membros do movimento. Para saber mais, acessem: https://linktr.ee/usk.belem


E tem também esporte com a prática de remo na Sede Náutica do Clube do Remo, localizado em um prédio histórico de 1905, na Cidade Velha. “A Sede Náutica está na história da Cidade Velha. O primeiro imóvel logo depois do prédio das Onze Janelas. Antigamente, onde hoje é o nosso chagão era uma rua onde as pessoas desciam para tomar banho. Ali a nossa sede é um ícone com muita história”, conta John Vasconcelos, diretor da Sede Náutica.


Criado para ampliar o acesso à arte e à cultura na cidade, o Centro Cultural do Carmo retoma suas atividades com força total a partir desta edição do Projeto Circular. Narjara Oliveira, produtora-executiva do Centro Cultural, explica que o espaço é destinado a programações como a do Circular.

“Estar nesta edição é uma excelente oportunidade que vimos para reapresentar o espaço à sociedade, aos artistas, aos fazedores de cultura para que possam entender que o CCC está à disposição para receber propostas e artistas”, diz.


Ainda na Cidade Velha, Concita Bezerra toca um brechó que funciona no porão de um casarão histórico onde mora na Dr. Malcher. Roupas para vender e alugar, utensílios domésticos e artesanatos de cerâmica. “Sou uma entusiasta do Circular. Minha casa é antiga e tenho tentado manter conservada. Uma oportunidade para as pessoas terem acesso à casa, conhecerem. No geral está bem conservada, inclusive tenho o desconto do IPTU dentro daquele programa”, explica, referindo-se ao Programa Monumenta.


No bairro do Reduto, novo parceiro é a Lambateria Casa de Dança. Félix Robatto, idealizador, explica que o espaço surgiu começou com uma festa de música dançante paraense, originalmente a partir da Quintarrada, realizada sempre às quintas-feiras. Depois de 03 anos, a festa ganhou um local próprio e que, por concidencia, ou não, volta a sua casa de origem, onde foi criada, e antes chamado de Templários.


“Sempre quis fazer algo com o Circular e quando a gente viu que o nosso endereço tinha a ver com o Circular, na hora resolvemos participar. A Casa vai estar preparada pra receber crianças a participarem das oficinas. Espaço de visitação e que vai tentar resumir um pouco nossas ideias e mostrar pra galera”, completa Félix Robatto que já participou como atração no projeto, em uma edição na Casa Oiam, quando esta ainda ficava, onde? No Reduto.

O projeto Circular é uma realização da sociedade civil organizada e Associação Amigos de Belém, com patrocínio do Banco da Amazônia, Alubar e Fundo Casa, por meio da Lei Rouanet, Ministério da Cidadania, Governo Federal, copatrocínio da Cultura Rede de Comunicação e apoio do IPHAN, UFPA, Sesc e Milton Kanashiro.


Serviço


A 29a edição do Circular Campina Cidade Velha chega neste domingo, 1o de dezembro, trazendo uma programação plural em diversos espaços culturais espalhados pelos bairros da Campina, Cidade Velha, Reduto e imediações. A programação completa já está no site: http://projetocircular2.hospedagemdesites.ws/2019/11/7879/ . Mais informações: 91 98134.7719.

Texto: Wanderson Lobato

Foto: Divulgação/USKBelém

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo